Sensação de vazio

By evoluirjuntos - junho 04, 2019




Energias da nova Terra e a sensação de "vazio"

Ao sentir que falta algo em nossa vida, começamos uma busca para preencher esse vazio. O problema, é que começamos procurando do lado de fora. Demorei bastante tempo para perceber isso, e seguirei até o fim dessa experiência aprendendo mais e mais.


Acontece que vivemos num mundo palpável, concreto, na terceira dimensão. Queremos e desejamos tocar, sentir que possuímos algo, e só assim acreditamos estar tudo bem. Porém, logo em seguida, aquilo que foi conquistado perde a graça, e agora almejamos outras coisas, outros sonhos, outros objetos, outras viagens, etc e etc. A mente está sempre ansiando por algo novo, nos acorrentando em algum lugar futuro. Ela pode apenas criar novas esperanças, novos desejos, mas nunca nos dá os benefícios desse “algo novo”..


O desejo é uma vontade que enlouqueceu” (Osho). E assim seguimos desejando, comprando, e achando que nos falta sempre alguma coisa. Nem que seja um novo corte de cabelo (claro, porque do jeito que está, não está bom), um novo curso (nunca é demais aprender!), um novo carro, um novo emprego, um novo __________ .


Perceba: não estou dizendo que estamos de todo errados. Claro que não. Estamos aqui, e fazemos parte desse mundo. O dinheiro é uma energia que nos permeia, assim como a mudança (de local, de emprego, de objetos, de pessoas, etc) é algo que faz parte da nossa vida, para que sigamos evoluindo, conhecendo coisas novas, crescendo. Contudo, a intenção e o foco são essenciais. Onde está a intenção da sua busca? Está querendo mudanças/coisas novas porque precisa “preencher o vazio” dentro de si? Ou está fluindo naturalmente com a vida?


Você pode até estar cansado de ouvir/ler por aí que você deveria olhar para dentro, e não buscar lá fora aquilo que falta em ti. Se você se sente assim, talvez esteja na hora de parar e escutar. Silenciar, e ouvir a si mesmo.


**
Parábola


Rabiya, uma mística sufi famosa, estava, uma tarde, procurando algo na rua, em frente à sua pequena cabana. O sol estava se pondo, e lentamente a escuridão estava aumentando. Algumas pessoas se reuniram e lhe perguntaram: “O que você está fazendo? O que você perdeu? O que você está procurando?”
Ela respondeu: “Perdi minha agulha.”
As pessoas disseram: “O sol está se pondo e será muito difícil encontrá-la, mas a ajudaremos. Onde exatamente ela caiu? Como a rua é grande e a agulha é muito pequena, se soubermos o local exato será mais fácil encontrá-la.”
Rabiya replicou: “É melhor não me fazerem essa pergunta, pois na verdade ela não caiu na rua, mas dentro de minha casa.”
As pessoas começaram a rir e disseram: “Sempre achamos que você era um pouco maluca! Se a agulha caiu dentro da casa, por que está procurando na rua?”
Rabiya respondeu: “Por uma razão simples e lógica: dentro da casa não há luz, e aqui fora ainda há um pouco de luz”.
As pessoas riram novamente e começaram a se dispersar. Rabiya as chamou de volta e disse: “Escutem! É exatamente isso que vocês estão fazendo. Eu estava apenas seguindo o seu exemplo. Vocês ficam procurando o estado de plenitude no mundo exterior sem formularem a questão primária: onde o perdemos? E lhes digo: vocês o perderam dentro. Vocês o estão procurando fora por uma razão simples e lógica: seus sentidos se abrem para fora e há um pouco mais de luz aí. Seus olhos enxergam fora, seus ouvidos escutam fora, suas mãos alcançam o que está fora; essa é a razão de procurarem fora. E lhes digo: vocês não o perderam lá, e lhes digo por experiência. Também procurei fora por muitas e muitas vidas, e no dia em que olhei para dentro fiquei surpresa. Não havia necessidade de procurar e buscar, pois ele sempre esteve dentro”.


**


Buda disse: “Existe o prazer e existe o estado de plenitude. Esqueça-se do primeiro para ter o segundo.” Paremos de procurar fora, e comecemos a olhar para dentro. No estado de plenitude não há “vazio”. Entenda que “esquecer-se do prazer”, é aqui colocado para te mostrar a importância de onde você coloca sua atenção, seu foco. O prazer é sim essencial nesta vida, assim como a alegria, e a felicidade. Mas no estado de plenitude, você pode aproveitar todos esses aspectos. [Estou nessa busca assim como você.]


Muito do que tem acontecido nesses últimos tempos, tanto na política, na sociedade, nos avanços científicos, na mudança de mentalidades, no livre expressar dos povos, nos desastres ambientais, e etc, tem mexido com várias pessoas. E quando digo isso, falo a nível energético, e não apenas emocional, mental e financeiro. A sensação de vazio tem aumentado ou aparecido na vida de algumas pessoas.


Esse é o seu chamado para olhar para dentro. Não se deixe levar pelo medo coletivo. Separe aqueles poucos minutinhos em silêncio que você tem no seu dia, para olhar para si, para se perguntar qual a sua essência, para se conhecer. Todos nós temos aspectos a serem equilibrados, traumas a serem tratados, lições a serem aprendidas.


Como disse a personagem Rabiya, nós estamos olhando para fora pois ainda há um pouco de luz lá. Que tal então olhar para dentro de você mesmo com carinho, ir trabalhando essa sombra aos pouquinhos, e acender essa luz interna que é tão grande? Sim, você tem essa luz aí dentro. Não duvide disso.


Não estou aqui tratando da palavra “luz” no sentido da religião. Falo do aspecto iluminado que todo ser humano tem dentro de si. Que todos vieram aqui para descobrir e “acender vela” do próximo, para seguirmos juntos nessa caminhada. Não importa se você é ateu, ou se tem uma religião. Importa é que somos parte de um todo. Juntos, montamos um grande “quebra-cabeças” e mantemos o equilíbrio desse lindo planeta que nos abriu as portas para servir de casa.


Quando você reacende essa luz interna, você ajuda o próximo, que também irá trabalhar suas próprias sombras até chegar a luz. Nesse ciclo, ajudamos todos os seres. Saímos do “vazio existencial”, e ganhamos forças para conquistar e realizar aquilo que viemos fazer.


Portanto, correndo o risco de fazer você ler isso mais uma vez, mas sem clichês, olhe para dentro. Como? Fique em silêncio, perceba como está sua mente. Não brigue com ela, você não é uma máquina que irá “parar de pensar” apenas porque resolveu olhar para seu interior. Os pensamentos virão, deixe que venham, e deixe-os ir. Apenas isso.


Natureza. Tenha contato com a natureza, apenas esteja ali presente, admirando, observando. Coloque os pés no chão, no mar, na terra, na água. Desligue-se um pouco dos aparelhos eletrônicos, e fique apenas você e as árvores, o mar, os animais ou uma plantinha da sua varanda que seja. Apenas esteja ali. Presente.


Dizem que a oração é o momento de você falar com Deus. E o silêncio é para ouvir a sua resposta. Usando o mesmo princípio, o silêncio irá te mostrar o que há dentro de você que precisa ser trabalhado, que precisa de atenção, carinho.


E por último, mas também muito importante, você não precisa seguir nessa caminhada sozinha(o). Existem várias pessoas, terapias, livros, e Seres de Luz para te ajudar. Procure onde seu coração mandar.


A verdade não está lá fora. Ela está aí, dentro de você.


Paz e luz no seu caminho!


Ana Carolina Reis
Evoluir Juntos





Música: Ilumina Minha Mãe, Marie Gabriella

Referências:
**Parábola da Rabiya - no livro “Alegria - A Felicidade que vem de dentro. Dicas para uma nova maneira de viver”, Osho. Editora Cultrix. SP.

>
>
>


Dica de vídeo/canal no Youtube:





  • Share:

You Might Also Like

0 comentários