Porque as pessoas se afastam?

By Evoluir Juntos - janeiro 17, 2019



Olá, se você chegou até este texto, deve estar se questionando porque algumas pessoas se afastam, ou porque algumas amizades esfriam, brigas acontecem, pessoas mudam, relações se quebram, etc e etc. Para muitas pessoas, isso até passa um pouco despercebido, algo natural da vida. Mas para outras, é quase como uma tortura, um questionamento interno que teima em brotar no meio dos pensamentos.
Quando você começa a entrar nesse mundo do autoconhecimento, a prestar mais atenção no momento presente, a sentir a sutileza dos sinais que vida te dá, a não se prender nem se preocupar muito com situações e coisas que acontecem no dia a dia, você consegue começar a entender o porquê de algumas pessoas não estarem mais na sua vida.
Ninguém aparece na sua vida por um simples acaso. Nem mesmo aquela pessoa que sentou do seu lado no transporte público, e falava ao telefone exatamente sobre aquele assunto que você vinha pensando por semanas em como resolveria. Aquela pessoa veio te trazer sua resposta, te dar uma ideia, chamar sua atenção para algo. O mesmo acontece com todos os amigos, amores, companheiros de trabalho, conhecidos, colegas, etc. Todos tem o seu papel um na vida do outro.
Acontece que, chega um momento, em que você não é mais o mesmo. Não é apenas questão de tempo e idade, até porque, isso é muito relativo. É que as coisas vão acontecendo na sua vida, boas ou ruins, evolução, arrependimentos, aprendizado. A partir de todas as suas situações, que só você pode sentir na pele e entender, o mundo a sua volta muda também. Você passa a vibrar de maneiras diferentes, atraindo diferentes padrões de energia, de pessoas, de lugares, de vontades.


Parece que, de uma hora para outra, você começou a se interessar por autocura, por livros diferentes, por terapias, por Yoga, ou por esportes, vida saudável, viagens, teatro, música, enfim. Não há um padrão “correto” e nem “o caminho certo”. Existe sim aquilo que faz seu coração e sua alma vibrarem.
E nesse mesmo momento, alguns lugares param de fazer sentido, alguns assuntos e conversas não te atraem mais, e assim é também com alimentos, bebidas, cidades, trabalho e pessoas. Sim, pessoas param de fazer sentido. Não é crueldade, e não quer dizer que você não as ame ou goste muito delas. Apenas pode querer dizer que o tempo ali acabou, ou que precisa de um tempo só seu.
Não há nada de errado em querer isso. Não há nada de errado em manter uma distância saudável. O importante é não se sentir mal, se achar culpado ou ficar pensando que “o outro não vai te entender”. É aqui que fica uma das partes mais difíceis de tudo isso: nós só nos magoamos se deixamos que isso aconteça.
Cada um tem um nível de consciência e uma forma de ver o mundo, e nós não podemos interferir e invadir a mente de cada um para tentar nos explicar. Em algum momento, aquilo vai fazer sentido para aquela pessoa. Mesmo que ela não entenda de primeira o motivo do afastamento, mesmo que insista em algumas situações, esse entendimento chegará a ela de alguma forma. Tudo no seu tempo.
Há quem diga que amizades verdadeiras não acabam. Eu acredito que o amor não acaba, o amor de um amigo, querer o bem, ter sempre boas lembranças, isso é para toda vida. O distanciamento não acaba com amizades. Os desentendimentos, as brigas, a mágoa, a raiva, a inveja, o rancor pode até ser que sim.
Assim como nada é eterno, esses lapsos de afastamento também podem ser temporários. Duram dias, meses, anos. Algo ali dentro precisa ser curado. Experiências precisam ser vividas. Novas pessoas aparecem para te lembrar ou ensinar algo. E quem sabe algum dia aquela relação volta a ser próxima e saudável.
Da mesma forma, isso pode não acontecer. Vai depender de cada pessoa, de cada caminho escolhido, de cada sentimento guardado e de cada fase da vida que já foi, já passou, foi bom enquanto durou. E está tudo bem.
O seu ego pode ficar te cutucando e fazendo você relembrar e reviver tudo aquilo no seu imaginário novamente. Pode ficar te lembrando do quanto você errou, e que por causa disso e apenas disso aquela pessoa se afastou.
Lembre-se sempre que uma relação tem duas vias. Não se faz uma relação sozinho. Ambas as pessoas precisavam passar por aquilo, ambas tem responsabilidade pelo que aconteceu, e ambas precisavam passar pela experiência do distanciamento.


Hoje em dia, na era de tecnologia, de relacionamentos virtuais, de tempos líquidos, é fácil voltar a se comunicar com alguém. E também é fácil se afastar. O importante é que haja respeito. Espere o tempo do outro, peça que respeite o seu. Se for para ser como era antes, será.
Existem amigos que, acredite se quiser, ficam meses e anos sem se falar, e ao se encontrarem, é como se nada tivesse mudado. O segredo? Não deixar seu ego te convencer de que “nossa, fulano nem fala mais comigo, sumiu, fez outros amigos. Não quero mais saber dele” - não deixe a raiva e o rancor se instalarem no seu interior.
Você ouviu o que ele tinha pra dizer? Sabe por onde andou? Quais desafios enfrentou, como sua vida está ou como chegou até ali? E se fosse você? Se coloque nos sapatos do outro. Nem sempre estamos querendo companhia. Busque a percepção de que somos todos diferentes, e ao mesmo tempo estamos todos conectados como Um só. Ouça, seja solidário, compreensivo. Fácil não estou dizendo que é, mas impossível também não.


Em algum momento, você percebe que aquela ou aquelas pessoas já cumpriram o papel que tinham na sua vida. Elas seguirão outros rumos, outros amores, outros modos de viver. E está tudo bem. Você nunca estará sozinho. Tudo muda o tempo todo.
“Tudo muda ao teu redor, o que era certo, sólido dissolve, desaba, dilui, desmancha no ar” (Humberto Gessinger). Mas logo tudo se renova, outros ventos trazem coisas novas. A única pessoa que vai permanecer sempre contigo, é você mesmo. Cuide-se, olhe para dentro e veja que tem um mundo inteiro aí.
Pessoas vem e vão. Seja grato por cada uma delas. Se as reencontrar, sorria, seja gentil, perdoe. Distância saudável é onde você se sinta bem e não interfira negativamente na vida do outro. Você mudou, então tudo a sua volta muda.
Tudo isso faz parte da evolução, faz parte do aprendizado. E que bom que isso acontece. Assim, você consegue aproveitar a beleza da sua própria companhia.


Se você sente necessidade de curar alguma mágoa em relação ao afastamento de alguém, algo que não está resolvido ainda para você, tente fazer o Ho'oponopono para essa situação ou pessoa. Você ficará surpreso com o que essas quatro pequenas frases podem fazer, liberando um imenso peso do seu peito. Simplesmente repita quantas vezes sentir que é necessário:

Sinto muito.
Por favor me perdoe.
Sou grata(o).
Eu te amo.

Outra técnica muito boa, que está no livro da Helene Abiassi e do João Carlos Paliteiro, “O coração cura a alma: Manual de Terapia Multidimensional”, é dizer e sentir essas quatro frases, usando o perdão para desbloquear o fluxo de paz:

Eu te amo.
Eu te perdoo.
Eu te respeito.
Eu te aceito assim como você é.

Repita para você mesmo, para quem você ama, e para quem você simplesmente deseja perdoar e deixar ir. Às vezes, é simplesmente isso que precisamos fazer: deixar ir…


Entrego, confio, aceito e agradeço.

Gratidão!

Namastê!

Ana Carolina Reis
Reiki Master

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários