5 dicas para destravar sua vida

By Evoluir Juntos - julho 19, 2018



Olá! Gratidão por ter você aqui!

Todos passamos por momentos em que nos sentimos estagnados, nada anda, tudo parece sempre o mesmo e, muitas vezes, as coisas parecem não funcionar.

Antes de nos sentirmos vítimas, e colocarmos a culpa no outro, no país, no emprego, no governo, etc… Que tal tentarmos nós mesmos destravar isso tudo?

Separei aqui dicas práticas, para colocar em prática hoje mesmo e começar a gerar movimento na sua vida.

Organização, determinação e persistência são características fundamentais para isso. E tudo, absolutamente tudo, você pode aprender. Hábitos são criados, habilidades são treinadas e assim somos capazes de fazer qualquer coisa.

Se a sua “desculpa” no momento é o medo, ou o perfeccionismo, não se engane. Todos temos medo e todos gostaríamos de fazer tudo perfeito. Mas pense por um momento: para deixar tudo perfeito, você precisa praticar, tentar, errar, aprender com os erros, consertar e tentar de novo (ou mudar de rumo), não é? E para iniciar isso, temos que ir com medo mesmo, correto?

Somos humanos, o medo faz parte do processo. A estagnação nos incomoda. Mas a zona de conforto nos prende. Então, ciente disso, pegue seu papel e lápis, agarre aquele projeto antigo que você achava que “nunca vai conseguir colocar em prática” e se liga nas dicas:

1 – Deixe ir aquilo que não serve mais


Situações que não te agradam mais, aquele ambiente que não te traz mais alegria ao frequentar (bares, tipos de festas ou outro lugar que você vai com frequência), um grupo que você faz parte mas não te acrescenta nada mais, roupas que você não usa (doe para alguém), etc. É como se o seu tempo ali já tivesse passado, a lição já foi aprendida e agora é hora de trocar de ares.

Coisas materiais também entram nessa lista. Aquilo que não serve mais, não tem conserto, quebrou: jogue fora. Não faz sentido ficar com sua casa cheia de objetos que não tem utilidade, que você já tentou consertar mas não conseguiu. Tem coisas que a gente se apega, foi presente de alguém querido, nos traz lembranças de algo que já passou.

No entanto, vale mais a pena ficar com as memórias e deixar aquele objeto ir. Se desapegar. A situação de ficar com objetos quebrados dentro de casa, movimenta uma energia de “estar quebrado” (de grana, situação de vida, saúde).

2 – Se desapegue do passado e da culpa


Já parou para pensar como sentir culpa é algo sem utilidade alguma? De que adiantar ficar se culpando, se maltratando ou se paralisando por culpa de algo que já passou? Sim, já passou porque só podemos sentir culpa por algo praticado ou realizado. Ou seja, já é passado.

A culpa é medo da punição. Todos falhamos, faz parte da nossa natureza. E achamos que pagando pela culpa, seremos novamente aceitos. Culpa é social. Mesmo que você ache que a culpa é só sua, a causa dela vem de algo social. Você comente um erro, e se sente culpado. Mas quem definiu aquilo como erro? A sociedade na qual vivemos. É claro que isso não se aplica a transgressão de leis, afinal, são necessárias para o convívio em sociedade.

O importante é deixar aquilo ir. Quando aquilo afetar alguém, se desculpe ou refaça e siga adiante. Quantos erros todos nós cometemos diariamente? Já se perguntou isso? Você não é o único ser errante por aqui. Seja grato pelos aprendizados que vem com os erros e siga adiante.

3 – Se afaste de pessoas que vivem reclamando


Primeiro, pare você mesmo de se queixar. Te desafio a ficar 7 dias sem reclamar de nada. Nem mesmo em pensamento! Isso já mudará muita coisa na sua vida.

Quanto a se afastar das pessoas, aqui falo para manter uma “distância saudável”. Não é para abandonar ninguém, nem mesmo deixar de falar com pessoas (que muitas vezes são da nossa própria família).

Apenas não entre no jogo da queixa, ouça mas não alimente esse tipo de comentário. Tente trocar o assunto, trazer algo positivo. Preste bastante atenção na sua respiração. Se você começar a respirar na mesma frequência que essa pessoa que está lhe contando suas lamúrias, você automaticamente entrará em sintonia com aquela vibração. Mantenha-se com a respiração regular, calma e no seu ritmo.

4 – Anote e organize todas as suas metas e tarefas


Essa é a dica de ouro, na minha opinião. Foi a partir dela, que coloquei vários objetivos e tarefas em movimento.

Para se livrar daquele excesso de ideias e pensamentos na mente a boa e velha dupla “papel + caneta” podem te ajudar. Para os mais tecnológicos, aplicativos como o Evernote também são uma ótima opção.

Faça uma lista das coisas que você quer e deseja fazer, e outra daquelas coisas que vivem enchendo a sua mente mas que não é exatamente a hora certa de manifestá-las. A primeira lista você pode deixar num local bem visível, para te lembrar e te dar ânimo. Na segunda, descarte o que você sabe que está ali apenas te atrapalhando, e guarde as metas futuras.

Tenha um caderno/diário, coloque suas ideias, seus “insights”, suas metas, sua lista de gratidão… Enfim! A prática da escrita é uma maravilhosa aliada para cocriar a sua realidade. Depois de escrever, relaxe, feche os olhos e visualize tudo como se já tivesse concretizado. Seja você o mestre da sua alma, o arquiteto da sua vida.

5 – Entre em ação


Gere movimento! Comece mesmo se o seu plano estiver no formato “Beta” (ainda não está pronto, está em teste, mas está se movendo). Se inscreva para aquele curso que chamou sua atenção, ou para uma entrevista daquele emprego dos sonhos; crie sua empresa, transforme seu hobby em “trabalho”, seja voluntário em alguma causa…

Abandone o barco da “zona de conforto”. Obstáculos podem vir no caminho, então esteja preparado. Não se deixe desistir. Tenha um parceiro (amigo, parente, companheiro…) que te ajude a persistir, compartilhe suas experiências.

Tenha foco, se organize. Separe de 3 a 5 horas (ou metade do seu dia) para fazer apenas uma determinada tarefa. Estude, se informe, pergunte.

Siga sua intuição. Aquela voz que fala dentro de você não está sempre errada. E se o caminho não era por ali, tenha certeza que algo você aprendeu. Aliás, essa é a única maneira de aprender: tentando.


Vá em frente, com gratidão e leveza!


Ana Carolina Reis




*Texto autoral originalmente publicado no site "Jardim do Mundo".


  • Share:

You Might Also Like

0 comentários