O poder das suas palavras

By Evoluir Juntos - fevereiro 01, 2018







Fale apenas quando o que for dito, for mais bonito do que o silêncio.” Buddah.


Olá! Gratidão por você estar aqui!


Todos temos pessoas que são ou, pelo menos, se sentem próximas, que se inspiram em nós, ou nós nos inspiramos nelas. Sejam parentes, amigos, pessoas públicas, professores, mentores, médicos, psicólogos ou terapeutas nossos, etc.

Pense em alguém próximo, como a pessoa que te criou ou um amigo de infância. Tente sentir como você ficaria ao ouvi-lo falar algo que te desmotivasse, te colocasse para baixo, te desencorajasse, como é esse sentimento? Não é nada agradável, concorda?

Pois então, daí a ideia desse texto/reflexão: escolha bem o que fala. Às vezes, é melhor não dizer nada, e deixar a energia que rege e movimenta as coisas do Universo fazer a sua parte.



Na nossa infância, quando ainda estamos começando a entender o mundo a nossa volta, absorvemos as palavras, ensinamentos e noções de certo ou errado que nos ensinam. Imagine você já estabelecer para uma criança, um adolescente ou um jovem, que ele só poderá exercer tal profissão ou atividade e que é isso que ele será na vida? Ou colocá-lo para baixo, se deixando levar por seus próprios traumas de infância e descarregando tudo naquele ser em desenvolvimento?

Não pretendo aqui fazer qualquer tipo de análise comportamental. Quero apenas, alertar para o poder que tem a palavra. A força que tem o que você diz a qualquer pessoa que faz parte seu caminho nesta vida.

Com uma palavra ou um sorriso (que também é uma forma de comunicação), podemos mudar o dia de alguém. Um exemplo prático que presenciei numa loja, foi quando uma cliente puxou uma conversa e elogiou a funcionária do caixa que a estava atendendo. A moça estava grávida, e visivelmente desanimada naquele dia. Apenas com uma conversa, umas perguntas gentis e muitas gargalhadas espontâneas, aquela cliente melhorou o dia da moça.

Às vezes, um sorriso, um abraço e um incentivo é só o que aquela pessoa está precisando.



Em vez de desencorajar alguém, por não concordar com a escolha ou opção dessa pessoa, mostre seu apoio, pergunte como pode ajudar, faça perguntas, se mostre interessado, mande aquele link ou aquele livro que você viu sobre o assunto e achou interessante, mostre seu carinho. Sim, mesmo que você “tenha certeza” que aquela ideia falhará, não cabe a você decidir. O caminho e a evolução são somente da pessoa que o escolheu. Ninguém tem certeza de nada até tentar.

Isso serve para todas as idades, mas se você é pai ou mãe, isso se torna mais importante ainda. Tenha cuidado para não criar barreiras e medos na criança, se baseando no que você tem medo. Esteja lá para apoiar, para aconselhar e ajudar, mas nunca coloque a criança para baixo, dizendo que ela não pode, que não tem capacidade, ou que acontecerá tal coisa. Deixe fluir, e vá ajudando.

Pelo que tenho pesquisado, existem muitas pessoas “perdidas” no que diz respeito a vida profissional, ao que fazer da vida, para onde ir, etc. E muitos, mas muitos casos mesmo, tem origem em algo que foi dito no passado por alguém, e que foi minando aquele sonho, foi convencendo aquela pessoa de que ela não seria capaz, de que o mundo é cruel, a vida é dura, e que deve mesmo é se contentar com o que já tem.

Mesmo que você ache que a sua crítica tenha a melhor das intenções, que está fazendo isso por pura preocupação pelo bem estar do outro, não é desencorajando e dizendo coisas duras que irá milagrosamente funcionar.

Isso tudo, gera crenças limitantes, e passamos a viver baseados nelas. Acreditamos que o mundo é cruel e a vida é dura. Quem determinou isso? O Universo está aí, pleno e abundante. O que precisamos, é investigar, curar e abandonar essas crenças e essas ideias negativas que nos foram impostas ao longo dos anos.

Essa visão (ainda bem) está mudando. É cada vez mais notório que atraímos para nossa vida aquilo que vibramos, aquilo que acreditamos e repetimos sempre no nosso inconsciente.



Assim, eu te sugiro: não seja essa pessoa que desencoraja, que rebaixa, que tira as esperanças do outro. 

Ofereça sua ajuda, envie boas energias e dê coragem a essa pessoa. Comemore quando ela conseguir um objetivo! Empreste seu ombro e seus ouvidos quando ela tropeçar em algum obstáculo, incentive um novo caminho, uma nova rota. Nem sempre é de primeira que o sucesso chega.

Se você algum dia foi colocado para baixo por alguém, se te desanimaram a seguir por um caminho, uma faculdade, um ideal de vida, uma profissão ou o que quer que seja, ainda há tempo! Sempre há tempo.

Mesmo que o plano não saia exatamente como você sonhou, quem sabe esse outro caminho que você pode traçar agora não te surpreenda ainda mais e seja ainda melhor?

Traçamos linhas retas, mas o caminho sempre é repleto de curvas, montanhas e ondulações. Aproveite a caminhada! Viva o presente, comemore cada passinho que der em direção a esse objetivo, observe bem os desvios que aparecem.

Sabe qual a parte que eu mais gosto de uma viagem? A estrada. Amo olhar pela janela, ver as paisagens, as pessoas que passam (ou mesmo as nuvens e estrelas da janela de um avião), etc. Levar isso para a vida, é libertador. Vá aproveitando tudo, e quando chegar lá, comemore ainda mais.

Técnicas para se libertar das crenças limitantes

Em primeiro lugar, a auto-observação é essencial. Até mesmo se você é ou foi essa pessoa que desencoraja, que joga o outro para baixo, é interessante olhar para si mesmo. Por qual motivo você fez ou faz isso? Há alguma experiência ou mágoa que o deixou preso a essa máscara? Inveja? Ciúmes? Orgulho? Coloque tudo para fora e sinta qual é o real motivo.

Existem pessoas que fazem isso até mesmo “sem perceber”, pois já está entranhado na personalidade delas. Nesse caso, o melhor a fazer é se afastar.

Atualmente, existem diversas maneiras de se tratar e se livrar dessas crenças que criam essa barreira no seu caminho. E olha: não pense que é tarde demais, que a idade passou e etc. Você pode o que você quiser!

E está cheio de exemplos maravilhosos por aí de pessoas que fizeram faculdade depois dos 60, que se alfabetizaram depois dos 80, que tomaram coragem para saltar de paraquedas ou para viajar o mundo sozinho, que trocam de emprego a cada 2 anos, que perdoaram seus pais depois de muito tempo (perdoar um pai ou uma mãe libera e destrava muita coisa na sua vida!), que resolveram ser pais, que adotaram um cachorro porque era seu sonho de infância, que foram aprender sapateado, etc e etc.



Quer exemplo mais bonito que o da linda ginasta Laís Souza que compartilha cada vitória da sua recuperação de um acidente no seu Instagram?

“Eu ainda não cheguei lá, mas tô mais perto do que ontem.” 💛
Dê uma olhada no link e entenda:

A meditação é algo que ajuda bastante; o contato com a natureza; você pode também procurar técnicas mais específicas como o Thetahealing, a EFT, a Constelação Familiar; terapias; acompanhamentos com psicólogo; um processo de coaching; enfim! Técnicas existem aos montes hoje em dia e muitos profissionais bons e capacitados para te ajudar. Vai depender de cada caso e situação. Algumas técnicas e atendimentos são até gratuitos. Pesquise, se informe na sua região, sempre tem alguém procurando fazer o bem.



No mais, a boa e velha empatia funciona bem. Se coloque no lugar do outro, pense antes de falar, repense o que já foi dito e, se der, tente reformular e deixar bem claro sua intenção. Quando vier a dúvida e não souber o que dizer, não diga nada.

Não permita que ninguém te desanime ou reprove suas ideias e sonhos. É apenas a opinião delas, não a sua.

Vamos espalhar essa ideia por aí! Ensinar os pequenos que eles são capazes de tudo, e fazer os adultos voltarem a ser essas crianças sonhadoras.



Gratidão! Paz e luz!


Que todos os seres sejam felizes






Ana Carolina Reis

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários